Espaço dedicado ao Departamento de Missões da Igreja Assembléia de Deus do Alto do Iguaçu - Ipatinga-MG. Será destacado posts com mensagens, idéias, vídeos e particularidades dos trabalhos realizados. Compartilhemos idéias, a obra é do Senhor! Fiquem à vontade.
------------------------------//--------------------------------//------------------------------//--------

sábado, 14 de abril de 2012

DAI-LHES VÓS DE COMER


“Dai-lhes vós de comer” Mc. 6.37

A fome é um sintoma de requerimento energético de um indivíduo. É um sinal de que o nosso corpo está necessitando de alimentos para suprir as necessidades vitais. É um termo comumente usado para referir a casos de má-nutrição ou privação de comida, alterando a quantidade e distribuição dos compartimentos corporais, clinicamente chamado de desnutrição.
            A desnutrição pode ser tanto primária quanto secundária. A primária compreende a inadequação da ingestão alimentar enquanto a secundária envolve a primária, associada a doenças, alterações nas necessidades, metabolismo e absorção de nutrientes. Essa subnutrição energético-protéica pode ser aguda (Kwashiorkor) ou crônica (Marasmo).
            Diante desse assunto, observa-se, dentro do campo missionário, a situação de crianças, jovens e adultos vivendo esse quadro. A imagem de uma criança raquítica, pequena, pele e osso que, de imediato, vem à memória, é um triste e real estado de Marasmo.
            O Marasmo é o estágio final do processo de caquexia, em que quase todo o estoque de gordura se esgota. Dura meses ou anos e o exame clínico demonstra uma aparência de definhamento, com peso menor que 80% de adequação. Se houve expressão de espanto ou pensamento assustador, você está compreendendo onde desejo chegar.
            Nos noticiários há relatos frequentes sobre a grande fome em países pobres, imagens dramáticas aguçam nosso emocional, campanhas de solidariedade são realizadas com o objetivo de amenizar a situação, muitos choram por pena, outros se conformam dizendo que a culpa é do próprio ser humano, outros ousam em dizer que isso é necessário acontecer para que se cumpram as profecias bíblicas, mas poucos se disponibilizam em agir.
            Amar, se emocionar, compadecer-se ou até mesmo se revoltar diante disso é algo comum, porém de nada vale se não houver ação. “Se sabeis essas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes” (Jo 13.17). Toda a caridade em palavras não trás benefício a ninguém, nem mesmo ao que a pronuncia, pois estará agindo de hipocrisia. A ordenança em “dar-lhes de comer” não requer discurso emocional.
            Muitos se limitam a pensar que cumprir o Ide do Senhor está associado em apenas pregar a Palavra. Pessoas vão aos mendigos, andarilhos e moradores de rua e tentam fazê-los compreender a amor de Deus Pai, mas o fazem de forma errônea. A atitude de Jesus em Marcos 6.30-44 demonstra isso. Poderia Ele dispensar o povo para que procurasse alimento, mas, em sua suprema sabedoria, sabia que haveria impacto maior demonstrando que Deus também se preocupa com nosso corpo, morada do Espírito Santo.
            Angelis e Tirapegui relataram em seu amplo estudo contido no livro Fisiologia da Nutrição Humana, (2007), que quando a excreção é maior que a ingestão, o organismo começa a trabalhar com as reservas, levando a deficiências nutricionais, imunológicas e psicológicas, além do fato de dificultar a capacidade de aprendizagem e compreensão deste indivíduo. Isto levanta um questionamento compreensível: Como alcançarei resultado diante a Palavra ministrada quando, clinicamente falando, todo um corpo luta para não ir a óbito?
Deus não precisa de heróis que possam erradicar a fome de todo o mundo, mas sim de humanos que ajam, declarando o amor às almas e aos corpos no qual elas pertencem.
            - “Como Deus me ama se Ele me deixa aqui passando fome?” – “Deus te ama tanto que me despertou para que trouxesse comida pra você”. Será que agindo assim as possibilidades de falar do Amor do Senhor aumentam?
            “A quem enviarei e quem há de ir por nós? Eis me aqui. Envia-me ali” Então “Dai-lhes vós de comer”.
           
Ferdinando Teodoro Soares
Acadêmico de Nutrição
Coordenador das Missões Boas Novas – Alto do Iguaçu

Nenhum comentário:

Postar um comentário